Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Pouco de Nada

O que penso. O que vejo. O que me faz sorrir. O que acho que vale a pena partilhar.

Um Pouco de Nada

O que penso. O que vejo. O que me faz sorrir. O que acho que vale a pena partilhar.

09
Ago16

Voltei! (Mas porquê só quase dois anos depois?)

#RapazSecreto

(Não resisti!)

 

Iniciei este blog no fim de Agosto de 2014 e a minha última publicação data o fim de Outubro desse mesmo ano, ou seja, menos de 3 meses e o blog estava em "stand by".

 

Não faço ideia se alguém deu pela minha ausência, três meses são insuficientes para "prender" a atenção de alguém... E desengane-se quem pensa que não cá voltei por preguiça, ou pelo facto de não ter nada de importante para contar ou, ainda menos, pelo facto de não ter achado muita graça ao mundo dos blogs.

 

Nos poucos posts que aqui publiquei, referi num ou outro o facto de estar em baixa forma física e da tortura e sacrifício que foi voltar a fazer Educação Física no início do novo ano letivo daquele ano. Durante esses meses, vivi uma verdadeira angústia, o cansaço acumulava-se, cada vez me sentia menos capaz de fazer o que quer que fosse e até mesmo as ações do dia a dia se tornavam difíceis de executar. Já tinha visitado um ginásio e estava pronto para começar a exercitar o corpo. Eu sabia que o que estava errado era a falta de exercício físico.

 

Mas estava enganado.

 

Depois de ter relatado ao meu médico, logo na primeira semana de aulas, o cansaço e dificuldades que sentia, ele desvalorizou e prescreveu-me a toma de magnésio. Um mês e pouco depois estava pior e é então que se dá o clique. Algo está errado. Há muita gente que não pratica exercício físico regularmente e que, ainda assim, não tem as dificuldades que eu tenho.

 

Em menos de 15 dias faço uma primeira consulta, percebo que o panorama não é bom, faço análises, sou reencaminhado para um hospital fora da cidade onde vivo e, no fim de Novembro, sinto o chão abrir-se numa fração de segundos. Sabia que era grave, mas jamais estaria preparado para o mais grave. O diagnóstico não deixa margem para dúvidas, a doença ganha nome e o futuro é negro. O futuro é deixar de andar, de me mexer, ficar aprisionado numa cadeira de rodas ou numa cama. Podem ser semanas, meses, anos. É a incerteza subjacente à certeza.

 

E então tudo se encaixa...

 

As pistas estiveram sempre lá. Eu só não notei. Desvalorizei. Culpei-me daquilo que não tinha culpa. Escondi de todos aquilo que acreditava ser apenas falta de exercício.

 

A vida parece perder sentido.

 

A batalha inicia-se. Mas que batalha?

 

"Não há tratamento nem cura."

 

Afinal, parece ser meramente uma questão de tempo.

 

Os últimos quase dois anos têm sido de luta, de sofrimento e de medo. Já muitas foram as vezes em que quis desistir, mas vou arranjando forças onde elas não existem para seguir em frente e o cenário mais negro ainda não se concretizou. 

 

Retomo hoje o blog, principalmente pelo facto de precisar de um espaço onde possa desabafar, dizer o que me vai na alma e o que muitas vezes escondo dos que me rodeiam na tentativa de os proteger. 

 

Se houver alguém desse lado, espero ser novamente bem-vindo a este mundo, do mesmo modo como todos são bem-vindos ao meu cantinho online. 

14 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Blogs Portugal

Estatísticas

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D