Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Pouco de Nada

O que penso. O que vejo. O que me faz sorrir. O que acho que vale a pena partilhar.

Um Pouco de Nada

O que penso. O que vejo. O que me faz sorrir. O que acho que vale a pena partilhar.

16
Set16

A próxima semana é semana de recomeçar...

#RapazSecreto

 Imagem retirada deste site.

 

A próxima semana é de mudança.

 

Semana de voltar à cidade académica.

 

Semana de voltar à faculdade, aos estudos, ao sonho.

 

Semana de voltar a superar os medos que tornam a aparecer e os receios que, há um ano, me fizeram querer desistir.

 

Semana que é uma oportunidade de corrigir os erros de um primeiro ano difícil e de arriscar mais do que nunca.

 

Semana de ser, viver, sonhar e estudar.

 

Quero tanto sair da minha zona de conforto, pôr-me à prova e, acima de tudo, sentir que estou a evoluir.

 

Que o medo não me impeça de vencer!

 

19
Ago16

Universidade - o 1º ano (Os primeiros desafios!) 2/3

#RapazSecreto

Segunda-feira, 14 de Setembro, dia de apresentação.

 

Começam os olhares e as questões que deviam pairar na cabeça de quem me olhava deveriam ser qualquer coisa como "por que raio está ali sentado aquele cromo?". Muito possivelmente, há dois anos, eu estaria a pensar o mesmo se visse alguém na minha posição, mas hoje eu não sou um deles, hoje eu sou o foco dos olhares. Apesar de tudo, a apresentação foi agradável e decorreu com tranquilidade. Aparentemente, só tinha porque correr bem... Mas nem tudo é o que parece.

 

Terça-feira, 15 de Setembro, dia da primeira aula.

 

Tinha a minha primeira aula às 08h30 e, ao contrário do dia anterior, a chuva fazia sentir-se e o céu estava triste e escuro. Dirigi-me para o auditório, faltavam 5 minutos para a aula começar, abro a porta e percorro com o olhar o fundo do auditório... Não há mesa nem cadeira para mim, somente a secretária e cadeira do professor.

 

O pânico toma conta de mim, bem como a sensação de que não pertencia àquele espaço e a sensação de que a garantia de que tudo estava tratado não passava, afinal, de uma ilusão. Naquele momento, não havia ninguém a quem recorrer, não conhecia o professor nem sabia o que esperar dele, o nervosismo apoderou-se de mim. Não conseguia ficar lá nem mais um minuto, respirei fundo e fiz um sacrifício tremendo para não desabar ao longo do percurso até ao exterior da faculdade.

 

Já no exterior, debaixo da chuva e de costas para a faculdade, até porque não gosto de dar parte fraca, desabei. As minhas lágrimas fundiam-se com a chuva que me molhava a cara e os medos voltaram a instalar-se. Durante esse tempo, falei com a única pessoa que sabe de tudo, a minha mãe, até porque só quem vive 24 horas por dia com alguém que tenha limitações físicas percebe o real impacto que elas assumem na sua vida e o quanto podem fragilizar.

 

Voltei para casa. Fingi que estava tudo bem, mas não estava. O medo consumia-me. Teria sido esta uma situação isolada ou seria aquilo que me aguardaria ao longo de um ano? Da faculdade tranquilizaram-me e explicaram-me que tudo fariam para que tal não se repetisse, mas que nem sempre isso seria possível. A minha cabeça não parou durante aquele dia, a confiança e tranquilidade já estavam distantes.

 

Nessa noite, já bem tarde, conversei com a minha prima e expliquei-lhe todos os receios e a vontade de desistir. Disse-me que tentasse uma vez mais e que tivesse a certeza de que não queria ou conseguia dar aquele passo, naquele momento. Tranquilizou-me, e se ganhei coragem para tentar uma vez mais, a ela o devo.

 

No dia seguinte, tudo correu bem. Percebi que não seria fácil, mas que aquele era o sítio onde queria e deveria estar. Ainda assim, houve dias em que a vontade de desistir era maior que a de ficar, mas, no fim do dia, não me permitia que um mau dia me fizesse duvidar do meu valor e da possibilidade de conseguir concretizar o meu sonho.

 

 

Ao longo do ano, várias foram as vezes em que esta situação se repetiu, comecei a ir mais cedo para a faculdade e assim que chego, a primeira coisa que faço é verificar o auditório, se as portas que preciso de usar estão abertas, se a cadeira e mesa estão lá, para deste modo ter tempo para resolver a situação antes da aula.

 

Outra dificuldade foram as relações interpessoais. A verdade é que a minha autoestima desceu consideravelmente, desde que a doença tomou conta de mim, o que me faz sentir em permanente observação e avaliação e o que, por sua vez, me faz pensar demasiado antes de agir.

 

Ao contrário do meu 12° ano, em que poucos notaram que algo não estava bem (uma tarefa quase impossível), ali nada havia a fazer. Eu estava "isolado" dos outros, sentava-me noutro sítio, raramente frequentava o bar/cantina, devido à confusão, não participei na praxe (que nunca foi um sonho ou objetivo), não entrava nos auditórios pelo mesmo acesso que os restantes colegas e, por fim, passava a maior parte do tempo na biblioteca, o sítio mais calmo e espaçoso, ótimo para quem precisa de espaço e tranquilidade. No fundo, vivi à margem de todos e só falava com alguns colegas por causa dos trabalhos de grupo. Foi assim que conheci dois ou três colegas com quem comecei a manter um maior contacto, porque, de resto, apenas tenho conhecidos. Não era um objetivo meu não conviver, mas foi uma consequência das minhas limitações físicas e, por conseguinte, emocionais.

 

Porque quando o nosso corpo muda e deixa de responder como sempre o conhecemos, também a nossa forma de estar e pensar muda. Não sou quem era há dois anos. Muito muda, desde a perceção da vida até à perceção de que existiram tantas oportunidades desperdiçadas que jamais se repetirão.

 

Mas a vida tem que seguir... 

18
Ago16

Universidade - o 1º ano (Entrei... E agora? Não vou!) 1/3

#RapazSecreto

A cerca de um mês de iniciar um novo ano letivo, decidi partilhar convosco o meu primeiro (e desafiante) ano de faculdade. Para não ficar muito longo, decidi dividir em três partes. Hoje, partilho convosco a primeira:

 

Não sabia se ia conseguir entrar.


Sabia que era difícil.


Durante as longas semanas de espera o meu pensamento e atenção focavam-se no sonho pelo qual tanto lutei. A entrada na universidade seria a cereja no topo do bolo, seria a concretização de que, mesmo quando tudo parece estar a cair aos nossos pés, ainda nos é permitido sonhar e voar mais alto. Ainda assim, e dado o meu problema de saúde, mudar de cidade, adaptar-me a uma nova casa, novas rotinas e a uma faculdade cujas condições desconhecia era algo que me angustiava, fazendo-me muitas vezes querer não entrar.

 

O dia em que foram divulgados os resultados das candidaturas foi um tormento, entre a confiança e a resignação, a esperança e o desespero. Estava de férias, sem computador, só me restava o telemóvel. O resultado estava lá desde pouco depois das 20 horas, ia sabendo o destino de todos e ficando cada vez mais nervoso, só às 23 horas me apercebo que no fim de todo, numa linha que eu esperava que se apresentasse destacada, estava a confirmação do sonho e a entrada no curso e faculdade que queria.

 

 

Confesso que festejei, vibrei de emoção e, por fim, caí em mim. Os pensamentos dos últimos meses ganhavam forma e dimensão - eu não estava preparado a qualquer nível para ir para a faculdade e tão pouco a faculdade deveria estar preparada para mim. Transportes públicos estavam fora de hipótese, porque a minha doença não me permite, utilizar as cadeiras dos auditórios também seria impossível e isto foi o suficiente para decidir que assim que me inscrevesse iria suspender a matrícula.

 

Mas a vida dá voltas e surpreende-nos com a sua naturalidade.

 

Dois dias depois, segunda-feira, estava na faculdade a matricular-me e cedo percebi que a faculdade estava preparada para alunos que necessitam de condições especiais.

 

Tudo estava tratado, pronto. Dali a uma semana iniciar-se-ia uma jornada difícil, desafiante, mas que valeria a pena.

21
Set14

Desafio - The Very Inspiring Blog

#RapazSecreto

 

Regras

 

- Agradecer e colocar o link da pessoa que te nomeou;

- Colocar as regras e o prémio;

- Partilhar sete factos sobre ti;

- Nomear quinze blogs inspiradores e comentar nos seus posts para eles saberem que foram nomeados;

- Podes pôr, opcionalmente, o logo do prémio e segue o blog que te nomeou.

 

 

Antes de mais quero agradecer à Cherry do Blog Life of Cherry por me nomear. 

 

7 factos sobre mim

 

1. Sou extremamente teimoso. 

 

2. Não dou facilmente confiança às pessoas.

 

3. Adoro tudo que seja ficção - séries, filmes, telenovelas, livros...

 

4. Adoro pessoas com olhos azuis e verdes. (Aproveitei a dica da Cherry ahah)

 

5. Sou a pessoa mais preguiçosa do mundo, principalmente no que toca a exercício físico.

 

6. Sou viciado em música e recentemente descobri (e adorei) a banda 5SOS.

 

7. Quero seguir o curso de Psicologia.

 

 

Não vou nomear ninguém porque acho que já praticamente todos foram nomeados. Por isso quem quiser responder... Está à vontade!

15
Set14

Liebster Award - Discover new blogs

#RapazSecreto

 

Fui desafiado pela Ana S. do blog Vida de uma Estudante Universitária e, por isso, aqui ficam as minhas respostas.

 

Regras

 

- Colocar a imagem (que está em cima) no blog; 
- Responder às 11 questões que te foram colocadas;
- Nomear entre 4 a 11 blogs (de preferência com menos de 200 seguidores) e dar-lhes 11 questões da tua autoria;
- Não podes nomear a blogger que te nomeou, tens que avisar todos os nomeados e deixar-lhes o link do post;

- Avisa a blogger que te nomeou para que ela possa ver as respostas às suas questões.

 

Questões

 

 

 

1. Qual é o/a blogger que gostavas mesmo de conhecer?

 

Confesso, gostava de conhecer vários bloggers e acho muito difícil escolher só um/a. Mas para responder à questão gostaria de conhecer mesmo a blogger que me desafiou - Ana S.

 

2. Preferes dar a cara ou manter o blog no anonimato? Porquê?

 

Prefiro manter o blog no anonimato. Sinto-me muito mais à vontade para partilhar o que quer que seja. Somente uma amiga minha sabe da existência do blog embora a ideia inicial fosse a de não partilhar com amigos, familiares ou conhecidos. Confio nela totalmente. Assim não me sinto de forma alguma limitado ou constrangido.

 

3. Qual é a tua viagem de sonho?

 

 

Neste momento, a minha viagem de sonho seria a Londres ou Barcelona. Com amigos. Mas eu adorava visitar imensos sítios. Era capaz de passar a minha vida a viajar!

 

4. Quanto tempo te imaginas pelo mundo dos blogs?

 

Não faço ideia. Comecei há dias este blog. Imagino-me pelo menos durante alguns anos, enquanto tiver sobre o que escrever e enquanto tiver gosto em fazê-lo. Só assim faz sentido. 

 

5. Se o mundo acabasse, qual era a última coisa que terias mesmo que fazer?

 

Dizer a todas as pessoas que são, ou foram, especiais para mim a importância que tiveram na minha vida e abraça-las. Acho que era a única coisa que precisaria e gostaria de fazer.

 

6. Se tivesses que criar um blog em conjunto com outro blogger, quem escolherias?

 

Eu não digo que estas perguntas estão difíceis? Pelo facto de não conhecer nenhum blogger para além daquilo que escrevem e partilham, seria muito díficil tal acontecer. Por exemplo, adoro todos os blogs (e respectivamente os bloggers) que falei neste post 31 de Agosto - Dia do Blog, mas não os conheço e não sei como seria "trabalhar" com eles. Mas com certeza seria um gosto trabalhar com qualquer um deles.

 

7. O que é que falta no meu blog ou o que é que gostarias de ver retratado lá?

 

Adoro o teu blog. Gosto da maneira como escreves e, a meu ver, o blog é tão genuíno que não alteraria nada. Estás no bom caminho ;)

 

8. Qual é o sítio que consideras um refúgio para ti?

 

Quando estou mal gosto de me refugiar na praia. Ver e ouvir o mar. Só eu e o mar. É quase que terapêutico.

 

9. Se só pudesses levar um objeto para uma ilha deserta, qual escolherias e porquê? Um garfo, uma televisão ou um urso de peluche? (Desculpem não me consegui lembrar de nada melhor ahah)

 

Fiquei indeciso entre a televisão e o urso de peluche. Mas acho que optaria pela televisão tendo em conta que adoro séries e filmes e novelas e tudo que seja ficção. Com certeza não morreria de tédio.

 

10. Qual a característica que as pessoas mais admiram em ti?

 

A característica que muitas pessoas admiram em mim é a mesma pela qual muitos me odeiam. Sou muito frontal e sincero no que penso. E portanto digo aquilo que penso quer os outros concordem quer não. Sou fiel àquilo que penso e acredito.

 

11. Se a tua vida fosse um livro, qual seria o título?

 

Um livro? A minha vida dava uma saga! Pelo menos é o que me dizem... O nome? Nunca tinha pensado nisso. Talvez «Um Doce Desastre». Foleiro de mais, não é? Concordo!

 

 

Chegou então a hora de nomear alguém para fazer esta TAG. E os bloggers que não se escapam são:

 

 

As questões que terão que responder são as seguintes: 

 

1. Qual é o/a blogger que gostavas mesmo de conhecer?

2. Qual o teu objectivo com o teu blog e o que te levou a criá-lo?

3. Qual é a tua viagem de sonho?

4. Quanto tempo te imaginas pelo mundo dos blogs?

5. Se o mundo acabasse, qual era a última coisa que terias mesmo que fazer?

6. Quem é o teu ídolo?

7. O que é que falta no meu blog ou o que é que gostarias de ver retratado lá?

8. Qual é o sítio que consideras um refúgio para ti?

9. Qual o teu maior sonho?

10. Qual a característica que as pessoas mais admiram em ti?

11. Se a tua vida fosse um livro, qual seria o título?

 

P.S.: Desculpem a minha não originalidade. As perguntas são quase todas iguais às que me foram colocadas. Fico ansiosamente a aguardar as vossas respostas!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Blogs Portugal

Estatísticas

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D